sábado, 31 de outubro de 2009

Manifesto anti esta merda toda


Parte III - Na Rua

Estou farto.

Estou farto de não poder passar à vontade nos passeios porque estão cheios de carros e ninguém se rala desde que se esteja bem.
Estou farto de ouvir gente que não sabe falar mas só berrar ao telemóvel no meio da rua ou numa esplanada em que fico a saber (e juro que não quero) toda a infeliz vida das criaturas.
Estou farto de tristes que se põem numa caixa multibanco e, com imensa gente na fila agem como se fossem os únicos, e aproveitam para pagar as suas contas da água, da luz, do gás, juntamente também com as contas do primo do amigo do avô do vizinho de cima.
Estou farto de ver gente a mandar lixo para o chão, desde já confessando que nos últimos tempos cada vez que alguém à minha frente deita alguma coisa para o chão, apanho, vou a correr entregar dizendo “olhe, deixou cair isto, pois não acredito que seja pessoa de deitar lixo para o chão...”. E adoro ver a imbecil cara que as pessoas fazem e as desculpas que arranjam ao verem-se confrontadas com a sua imundície e a sua condição de badalhocas.
Estou farto de ser confundido com um bebedolas logo às oito da manhã só porque tenho que andar aos “esses” para evitar pisar o cócó dos cãezinhos dos outros. Logo eu que começo as minhas manhãs a apanhar a merda que o meu cão faz (haverá maior simbolismo Nacional para começar o dia?) Estou farto de tentar seguir e espiar os porcos dos donos dos outros cães e não conseguir descobrir onde moram, que um dia dou-me ao trabalho de apanhar também os montes dos cães deles (que às vezes parecem de vitelas) e deixar-lhos à porta . Sem saco, “au naturale”.
Estou farto de levar encontrões na rua de gente estúpida e arrogante que não pára sequer para pedir desculpa, fazendo-me sentir clandestino na minha cidade.
Estou farto de já ter decidido e no fim não ter coragem (porque respeito em demasia os invisuais) de pegar no cão e nos óculos escuros, arranjar uma vara daquelas que aleijam a valer, e ir rua fora armado em cego e cada ver que vejo um ou uma anormal que não consegue viver em sociedade.... zás zás zás.... pam pam pam..., arrear-lhe com a vara nas costas ao mesmo tempo que grito “Era aqui! Juro que era aqui a porta!“, fazendo de conta que não sei o que estou a fazer.
Estou farto que seja in ser mal-educado e pensar que foi abolida ou proibida a palavra “obrigado” (e ninguém me avisou), quando se abre ou segura uma qualquer porta ou se deixa alguém passar à frente, situações em que ponho quem está à minha volta a olhar para mim, pois não consigo deixar de berrar um “Não tem nada que agradecer! Um criado ao seu serviço!”
Estou farto de viver na “escarralândia” e na “paredomijalândia”.
Estou farto de ver criaturinhas impertinentes a empanturrarem-se de fast-food ao mesmo tempo que vão deixando os copos, sacos, papéis e embalagens por onde vão passando, dando-me vontade de os obrigar a meter tudo aquilo comodamente pelo recto acima.
Estou farto de Deus não me ter dado o dom de ser capaz de treinar pombas para que em voo picado acertassem com cagadelas nesta gente toda e eu ficar-me a rir.

Deus me dê paciência, porque se calha a enganar-se e dar-me força, não responderei por mim.

19 comentários:

  1. Querido disse, é um "protestante" com muita classe e cheio, mesmo muito cheio, de razão.
    Eu sou refilona e quando vejo certas atitudes de que não gosto digo de imediato, com um sorriso nos lábios e palavras lindas (mas a pensar nos palavrões que aprendi em pequenina e que me proibiram de pronunciar). Como deve calcular já ouvi respostas vociferadas com um português vernáculo mas o sorriso não morre nos meus lábios... Sempre há umas pessoas que revelam vergonha. Já pensei que qualquer dia levo "nas trombas", será um prémio pelo meu civismo...
    Beijinho e continue a protestar, tem o meu apoio.

    ResponderEliminar
  2. Sim senhor, é verdade, até irrita! "Merda" de cão nos chãos, pessoas que não querem saber se atropelam ou não, carros em todo o sitio, foda-se, Portugal surreal, as pessoas pensam que podem fazer o que lhes apetece, e depois vêm os anormais, um tipo há cerca de 2 semanas abordou-me(desde já que digo, o gajo era um idiota chapado), em primeiro pede-me um cigarro, depois, com uma grande lata, pede-me para fazer um telefonema, eu disse que não tinha dinheiro, mas idiota como era não percebeu, por último pede-me dinheiro, eu também lhe disse que a crise afecta a todos, pior, só se for o facto de querer violar um dos meus direitos fundamentais, o gajo queria revistar-me para ver se tinha dinheiro, que idiota, obviamente que eu disse que não e que nem pensar, depois veio com as ameaças e não sei o quÊ, mesmo assim não teve sorte nenhuma! Portugal cada vez está pior!!!

    ResponderEliminar
  3. Sabes o que costumo dizer... esses que fazem do alcatrão o cuspideiro privado haviam de ser condenados a lamber a rua toda...
    Quanto aos cocós dos cães, é por essas e por outras que eu tenho um gato... ; )

    ResponderEliminar
  4. Sem dúvida!!!!!!!!!!
    Estas mesmo farto!
    Gostei particularmente do ensaio à cegueira!!
    embora a ideia tenha nascido noutra sede, não deixa de ter piada no contexto por ti escolhido!!!
    Sendo certo que em tese ( tal como foi imaginada inicialmente) teria um impacto surprendente em situações mais formais!!!
    Mas meu querido! tu tens toda a razão e que fazer?
    Coimas, multas, cadeia????? Não acredito!!!!
    Quiçá, terem como sanção a reeducação?
    Oh meu Deus, que utopia a minha!!!!!
    Não vejo solução!!!
    Temos que nos adaptar a estes badalhocos, prepotentes, inconscientes e usurpadores até porque, do ponto de vista dos próprios, estão muito bem.
    O conselho é:
    umas belíssimas galochas, gabardine, óculos escuros e tampões nos ouvidos, pois não vislumbro outra saida!
    Assim protegidos deixamos pe pisar o que não devemos, protegemo-nos de eventuais agressões via aerea de uma qualquer boquinha santa, não vemos o abuso de certos condutors, nem ouvimos tanta bobagem!!!
    Porque reeducar, impossível!!!! uma vez que os grandes praticantes destas modalidades, são os que decidem as nossas vidas!
    tem paciência querido!!!
    beijos!!

    ResponderEliminar
  5. Olá!
    Tens razão, a falta de civismo é uma grande praga! E ninguém se importa! Então as "cacas" dos cães é de bradar aos céus, uma pessoa apanha os dejectos dos seus companheiros de quatro patas e depois anda na rua a pisar os dos outros! Em Coimbra era uma calamidade, e deve continuar a ser!Agora que vivo no campo não tenho muito esse problema, até penso que seja a única pessoa daqui a ter as cadelas dentro de casa! Os cães aqui têm um triste percurso de vida que consiste basicamente em ficarem presos a uma árvore!
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  6. Sabendo que mesmo no contexto europeu, todos os países têm pontos altos e baixos nas suas populações e que neste contexto somos exímios em encontrar pontos baixos nos portugueses, até porque o somos, questiono:

    Já repararam que os valores associados a agradecer a quem nos dá passagem, a quem nos aguenta a porta estão a desaparecer com as gerações mais novas?

    Podem assim repentinamente dizerem-me que isto é conversa de pessoa mais velha sobre as pessoas mais novas mas volto a repetir:

    Não encontram um padrão de deterioração de civísmo?

    Coincidência ou não pego na amostra do prédio onde moro e quanto mais nova é a pessoa menor é o volume e a frequência com que diz a palavra "Obrigado/a".

    Será falta de tempo? Será "out"?

    Eduardito

    ResponderEliminar
  7. Eu ando a ganhar coragem para pegar numa pá e agarrar na merda toda que os cães dos meus vizinhos fazem em frente ao meu portão, de cada vez que eles os deixam à solta todo o dia, despejando as entranhas pela rua, mais precisamente em frente da minha casa.
    Vou acumulá-los um a um (aos cagalhões), até formarem uma pilha de merda tão, mas tão grande que eles não consigam abrir a porta...
    Estou contigo em todas estas dores e como podes ver também me sinto farta desta merda toda.

    ResponderEliminar
  8. Maria Teresa:

    Muito obrigado. Pelas palavras e apoio. Eu também ando a arriscar um dia destes apanhar, mas enquanto isso vou-me dedicando a esta cruzada...

    Boa semana!

    ResponderEliminar
  9. Anthony:

    Bem-vindo e obrigado pela visita e comentário! De facto é preocupante o estado a que as coisas estão a chegar. E a prova disso é exactamente o que relata.

    Boa semana!

    ResponderEliminar
  10. Joanissima:

    Pois... são diferentes modos de caçar...

    :)

    Boa semana!

    ResponderEliminar
  11. mf:

    Clap, clap, clap!

    Apoiado!

    Boa semana!

    ResponderEliminar
  12. Ana Sofia:

    Bem, para mim acaba por ser também outra manifestação de falta de educação, essa do comportamento com os pobres dos animais.
    Há gente que não merece os animais que tem.
    Enfim..

    Boa semana!

    ResponderEliminar
  13. Boa noite,
    Concordo em absoluto, com TUDO o que escreveu.
    Aonde estão os bons modos actuais? O respeito? A educação?.. E por aí em diante.
    Confesso, que me sinto um pouco"revoltada" com
    a sociedade,(não no geral obviamente, porque embora hajam poucas excepções, ainda existem.)

    Serei visita assídua, a partir de hoje.
    Continue..

    ResponderEliminar
  14. Eduardito:

    A verdade é que me parece que a inversão está quase completa e o que atá há algum tempo era considerado má-educação agora é o trato social normal, e o que era boa-educação começa a parecer uma coisa estranha, nunca vista, ou melhor... mal vista!

    SIC ITUR IN URBEM....

    Boa semana!

    ResponderEliminar
  15. Ana C:

    Eu consigo arranjar um carrinho de mão emprestado. É só marcar hora e lugar e ajudo no que for preciso!

    Boa semana!

    ResponderEliminar
  16. A Invisível:

    Boa noite. Muito obrigado pela visita e pelo comentário. Seja muito bem-vinda! E sobretudo por fazer parte do grupo que pouco mais aguenta o rumo que as coisas estão a levar.

    Até breve e boa semana!

    ResponderEliminar
  17. PP_FANTASMA:

    Bem-vindo e obrigado pelo comentário. Não estou certo que seja a cultura portuguesa ou o resultado de a termos deixado morrer...

    Boa semana!

    ResponderEliminar
  18. Dou comigo a pensar numa de "emigra":uma malinha de cartão e...tunga!
    É que desta m@#$a nem para estrume!

    ResponderEliminar